fbpx

Gosta de tecidos baratos? Conheça as fibras sintéticas e saiba como fazer o barato não sair caro!

 em Corte & Costura, Dicas, Notícias, Novidades
 Olá pessoal! Você gosta de roupas e tecidos baratos? Mais em conta? Conheça os materiais que tornaram os tecidos mais acessíveis e de ótima qualidade. Conhecendo eles o barato não vai sair caro! Então vamos ver o último grupo de fibras têxteis, as fibras sintéticas. Já vimos as partes dos tecidos, fibras naturais, artificiais e agora as sintéticas. Mas não deixe de acompanhar nossos posts. Ainda vamos falar das construções dos tecidos e finalizar combinando tecido com modelo. Gostou? Então fique ligado!
 
Nesse post então vamos falar sobre:
  • O que são as fibras sintéticas
  • Poliéster
  • Poliamida
  • Acrílico
  • Poliuretano
  • Dicas

O que são fibras sintéticas

Fibras sintéticas são obtidas a partir de produtos químicos encontrados principalmente no carvão, gases e petróleo.
Hoje elas são amplamente utilizadas na indústria têxtil por conta de seu baixo custo e alta resistência.
 
Em 1937 a fábrica Du Pont juntou um grupo de cientistas para desenvolver materiais sintéticos para o setor têxtil. Em 1938 surge o nylon, a primeira e mais importante fibra desenvolvida. Ela causou uma enorme revolução no setor têxtil e era o substituto ideal e acessível da seda. Acontece então a Segunda Guerra Mundial e o nylon ganha também uso militar.
 
Fibras de vidro foram tomando espaço no setor têxtil, aplicadas em tecidos transparentes. As fibras acrílicas substituíram as lãs. Nos anos 50 a Rhodia cria a fibra de poliéster e um tecido que “não amassa”, o tergal. Já nos anos 60 a Du Pont cria o elastano, uma fibra elástica que substituía o lastex e comercializa com o nome de lycra.
 
As pesquisas e desenvolvimento de novas fibras têxteis sintéticas continuam a todo vapor. Por exemplo o nomex e o kevlar, tecidos usados nas roupas dos astronautas e pelas forças militares do mundo todo. Muita coisa ainda pode surgir pela frente.
 

Poliéster PES

No início esses tecidos fizeram muito sucesso principalmente por amassar muito pouco. Aos poucos essas facilidades foram perdendo espaço com o desconforto por conta da baixa absorção de umidade do tecido. Para reduzir esse desconforto as microfibras de poliéster foram criadas. Quanto mais fina a fibra mais ar consegue passar por entre elas e manter o corpo mais fresco, e ainda impermeável.
 
Esse tipo de material possui uma boa durabilidade e solidez de cor e estampa. Porém é bem difícil de se tingir, as colorações são obtidas com a produção usando material já colorido.
Esse material é bem versátil. Pode ser produzida de várias formas, longa, lisa, texturizada, curtas, mais fina ou mais grossa. Isso permite uma variedade ainda maior de tecidos a serem desenvolvidos.
 
O poliéster possui característica de ser impermeável, amassar pouco, secar rapidamente. É também extremamente resistente, aguenta altas temperaturas e não queima com facilidade. Por outro lado, não deixa o corpo respirar, nem transpirar, ficando sempre molhado. Além do fato que tende a criar bastante eletricidade estática e dar bolinha (pilling). Para amenizar essas características negativas ele é normalmente misturado com outras fibras. Assim ele ganha respirabilidade e agrega na redução de amassado das peças.
 
Essa fibra demora muito para se decompor no meio ambiente. Para se ter uma ideia, ela é o mesmo material das garrafas plásticas. Consequentemente não deve ser descartado de qualquer forma. Mas sua matéria prima é muito versátil e pode ser reciclado. Peças de roupas corretamente descartadas podem voltar a ser novos tecidos e outros materiais PET. Contribuindo positivamente ao meio ambiente.
 

Poliamida PA

A poliamida pode ser também encontrada com o nome de nylon que é o nome registrado usado pela Du Pont. Como já vimos, ela foi a primeira fibra sintética a partir do petróleo a ser criada com a intenção de substituir a seda.
 
Começou a ser usada em meias femininas, depois em outras peças de roupas, mais baratas, resistentes e duráveis. Mas não durou muito tempo pois as fibras eram pesadas e ásperas, sem muito conforto. Com a tecnologia pra criar microfibras é que a poliamida voltou a ser bem vista para o vestuário.
 
Logo após sua descoberta deu-se o inicio da segunda guerra mundial. A fibra passou a ser amplamente usada no setor militar. Ela substituiu a seda, principalmente na fabricação de paraquedas, tornando-os ainda mais leves e resistentes. Com o fim da guerra as tecelagens voltaram a produzir meias de nylon no lugar de meias de seda. Filas quilométricas eram feitas nas portas das lojas para comprar as meias. Para se ter ideia mais de 64 mil pares de meias foram vendidos em apenas um ano logo após a guerra.
 
Ganhou o mundo da moda pois é leve e macia, que não encolhe e nem deforma. Resistente ao uso, fungos, luz e traças, seca bem rapidamente. Porém tem a tendência de reter poeira e sujeira, mancha com facilidade e não absorve umidade e encolhe com o calor. Mas aquece pouco e, com as microfibras, facilita a transpiração do corpo. Seu maior uso é em materiais esportivos, malharia, principalmente no setor íntimo e praia. Seu brilho, resistência à radiação ultravioleta do sol é uma das razões de ser usada na moda praia. Essas propriedades do tecido são afetas após longos períodos de exposição ao sol, algo em torno de 200 horas.
 

Acrílico PAC

Assim como a poliamida foi desenvolvida para substituir a seda, o acrílico foi criado para substituir a lã. Ele foi descoberta em 1894, mas deixada de lado por dificuldades de produção de fibras. A partir de 1931 voltou para o foco das pesquisas e em 1944 foi lançada com o nome de Orlon pela Du Pont.
 
Amplamente usada em misturas com outras fibras. É aplicada em vários tipos de produtos, como malhas, jerseys, carpetes, cobertores, pelúcias. Essa ampla gama de produtos a fez ganhar mercado, se tornando a 3º fibra mais produzida no mundo em 1980. Também por conta de seu baixo custo de produção e as suas patentes serem livres, permitindo muitas fábricas a terem acesso.
 
Suas principais características são uma alta resistência, quase igual ao algodão, baixa absorção de umidade e secagem rápida. Possui um aspecto de lã, com pouco peso e mantém o calor do corpo, sendo um ótimo isolante térmico e resistente ao calor. Não amassa, resiste à luz e mantém as cores bem sólidas e firmas, não desbota. Sua lavagem é bem simples e pode ser feita a baixas temperaturas. Além de ser resistente a diversos produtos químicos e não precisar de ferro de passar. Porém ela costuma dar bolinhas (pilling) e gerar bastante estática.
 

Poliuretano PUE

Mais conhecido como elastano ou lycra, Lycra é o nome registrado pela sua fábrica Du Pont. Ela possui uma alta elasticidade e atualmente é misturada a quase todas as outras fibras para dar mais conforto às roupas.
 
É uma fibra bem leve e altamente elástica, podendo chegar até 500% do seu comprimento normal. Pode ser esticada várias vezes e voltar ao seu comprimento original sem deformações. Essa alta elasticidade impede de ter um tecido 100% elastano, sendo obrigada a misturar com outras fibras. Não envelhece, mas perde resistência em contato com produtos oleosos e de alvejamento. Quando exposto ao sol tende a amarelar.
 
Conforme foi dito ela é muito usada em mistura com outras fibras, cerca de 5% a 6% por tecido. Essas misturas conferem mais elasticidade aos tecidos, caimento mais fluido, mais conforto. Sua aplicação é maior em tecidos de lingerie e moda praia, roupas fitness ou esportivas. Mas pode ser aplicado em qualquer setor, até mesmo com tecidos pesados como jeans.
 

Veja aqui mais sobre a saia e como escolher o tecido e o modelo ideal para suas peças.

Dicas

Nenhuma fibra têxtil, natural, artificial ou sintética, possui qualidades de propriedades que a torne adequada a todas as finalidades. Quando surge a necessidade de tecidos com propriedades não encontradas em uma única fibra são feitas combinações. Assim as propriedades desejadas se somam, minimizando as indesejáveis. Boas misturas precisam de conhecimento e estudo das fibras, bem com uma boa dose de criatividade. O mercado cada vez mais exige cores, texturas, resistência, conforto, durabilidade, com características renovadas.
 
Agora que conhecemos as principais fibras têxteis do mercado, podemos escolher o melhor tecido para cada tipo de peça. Gostou? Essa é uma parte do conhecimento necessário para lidar melhor com os tecidos. Ainda falta uma parte, a construção dos tecidos. As fibras possuem características especificas, assim como cada construção de tecidos também possuem suas características. A soma desses dois fatores é que define o tecido final. Fique ligado para saber mais e virar um expert em tecidos. Acompanhe sempre no nosso facebook o lançamento de novos materiais!
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

0