fbpx

Ateliê: como planejar e abrir um

 em Corte & Costura, Sem categoria, Workshops

Olá pessoal! Estamos com mais um post sobre empreendedorismo e costura para vocês. Já falamos de preço, valores, agora vamos falar sobre o montar um ateliê. Já está decidido que queremos trabalhar com costura, mas o que devo planejar antes de começar com a mão na massa? Esse post está aqui para te direcionar nesse ponto!

Iremos ver um pouco sobre:

  • Tomada de decisão

  • Conceito de 4 P’s

  • Praça

  • Produto

  • Promoção

  • Preço

Parecem que são temas que não tem muito a ver com o ateliê. Mas quando falamos de começar um negócio temos que ter esses elementos em mente. Você verá que eles são bem mais presentes no nosso dia a dia do que você imagina.

Tomada de decisão

Quando decidimos trabalhar com costura, temos que tomar algumas decisões. A primeira é saber exatamente porque quer montar o ateliê. Parece bobo, mas é muito importante, isso será sua motivação durante todo os anos de trabalho.

Pense que uma coisa que hoje você faz por prazer será sua fonte de renda, se tornará uma obrigação. Causará stress e muitas dificuldades. Então você está disposto a aceitar isso e continuar trabalhando com a costura? Caso contrário, não gaste tanta energia montando um ateliê, ou marca.

Depois temos que pensar no que queremos oferecer realmente. Consertos? Sob medida? Festas? Roupas pet? As opções são infinitas, mas com o que quero realmente trabalhar? Você pode trabalhar com mais de uma opção, nada é exclusivo. Mas deve existir um carro chefe, aquele tipo de trabalho que você mais gosta de fazer e faz melhor. Ele deve ser seu foco, pois assim você irá se destacar.

Falando em destacar, entra outro item a se pensar: o que me tornará diferente? Existem muitos ateliês em todo lugar. O que tornará meu ateliê diferente? O que vai fazer eu me destacar entre tantos outros? Pode ser desde um produto, a forma de trabalho, atendimento. Contanto que te destaque no mercado está valendo.

Se fizer mais do mesmo você entrará numa briga de preços com seus concorrentes. Seu desgaste e trabalho será sempre maior e as pessoas deixam de te valorizar. Você pode ver mais disso no post que fizemos sobre valor, assim você entende como dar valor ao seu trabalho.

Muitas ideias e pensamentos surgirão em nossas mentes, por isso o melhor a fazer é ir colocando tudo no papel. Depois você analisa e seleciona quais ideias são mais interessantes e viáveis. Volta e retoma algumas ideias e vai desenvolvendo seu ateliê. Não confie somente na sua cabeça, ela prega peças na gente.

Conceito dos 4 P’s

Os 4 P’s são Praça, Preço, Produto e Promoção. São ferramentas estratégicas do marketing e usadas em diversas áreas empresariais. Surgiu com Neil Borden em 1949 amplamente divulgado por Philip Kotler. Consiste em 4 frentes de pensamento a serem pensadas de forma estratégica. Primeiramente eles devem ser analisados separadamente e depois em conjunto.

Quando essas ferramentas estão bem alinhadas a chance de sucesso de seu ateliê será maior. Assim você irá criar um produto voltado para quem usá-lo (produto), colocar um preço está de acordo com o mercado (preço), estar no local mais indicado para seu cliente (praça) e divulgar (promoção) de forma que ele entenda que seu ateliê é o que ele precisa.

PRAÇA

Praça consiste no local em que se encontra. Mesmo que tenha decidido abrir na sua casa, pense bem na praça, pois as vezes a economia e facilidade pode não valer o trabalho.

Deve ser levado em consideração o fluxo de pessoas, o tipo de pessoas que por ali passam, a presença e porte da concorrência. Ao falarmos de praça, também temos que pensar no endereço, se é fácil de achar. A presença de um estacionamento também é bem-vinda. A ausência de escadas também ajuda, mas não são quesitos obrigatórios.

Por fim na praça temos que pensar no prédio em si. A quantidade de salas, banheiro, copa, condições do prédio, água, luz, aluguel. E por fim a documentação do imóvel. Tanto municipal como estadual e federal. Pois municípios possuem leis de zoneamento que não permitem instalar comércios em determinadas áreas da cidade.

PRODUTO

Ao falar de produto, ou serviço, devemos ter bem claro o que iremos fazer, quais serviços iremos prestar. Aceitar todo tipo de trabalho pode prejudicar seu negócio, te ocupa o tempo e pode abaixar seu padrão de qualidade. Por isso tenha bem claro quais produtos você deseja e aceita fazer.

Deve conhecer também quem vai consumir seu produto. Assim você adequa seu produto com seus clientes. Não adianta oferecer o melhor serviço se as pessoas querem somente o preço e não qualidade e vice-versa. Por isso conhecer seu público é muito importante. Além disso você deve ter uma ideia da sua capacidade de trabalho para não pegar demais e depois não conseguir dar conta. Saber quem são os responsáveis por cada etapa de um trabalho e principalmente o tempo de duração de cada etapa. Esses dados servirão para depois desenvolver melhor seus preços.

PROMOÇÃO

Nesse momento não estamos falando de promoção tipo saldo ou liquidação e sim de se promover. Para seu ateliê crescer você precisa promove-lo, fazer com que as pessoas o conheçam. E para isso tem que pensar como levar o seu nome até as pessoas.

Pode ser por meios físicos como: cartões, panfletos, banners, outdoor, anúncios em jornais e revistas. Ainda nos meios físicos existem os eventos, feiras, festas e comemorações de dias festivos. Você pode usar tudo isso a seu favor.

Depois temos os meios digitais: redes sociais, sites próprio ou de terceiros, parcerias com blogueiros e outros. Emailmaketing, whatsapp, instagram, telefone, tudo isso também se encaixa em meios digitais. Nessa área também pode soltar sua imaginação e testar o que pode dar certo ou não. Lembrando que divulgações digitais costumam ser mais acessíveis que as físicas, mas nem sempre.

PREÇO

 

Esse costuma ser o item que mais preocupa as pessoas. Nesse post não iremos falar de como construir preço, para isso tem esse outro post. Iremos falar de elementos a se levar em consideração para formar o preço como um todo. Desde preço cobrado a valor oferecido e valor percebido pelo seu cliente.

Para começa é preciso colocar todos os números no papel. Saber quanto será/foi seu investimento inicial: reforma, máquinas, mobiliário, divulgação, gastos fixos e variáveis, capital de giro. Com alguns desses números você pode delimitar índices de trabalho.
Por exemplo sua capacidade produtiva, seu volume de trabalho, fluxo de caixa e o ponto de equilíbrio.

Ainda falando de preço temos o estoque. Quais materiais tenho ou tenho que ter, quanto de cada um, os fornecedores, o custo de cada item. Essa parte de estoque vai se consolidando conforme o trabalho anda. Porém é importante que parte dela seja prevista no começo de seu negócio para não ficar apertada depois. Saiba que estoque parado é dinheiro perdido.

São muitos elementos que falamos. Na verdade a ideia desse post é mais fazer com que você pare para pensar antes de começar efetivamente seu ateliê. Realizar o sonho de montar um ateliê é muito bonito, mas se não tivermos um bom planejamento esse sonho pode virar um pesadelo. Isso vai demandar bastante de você que está começando, mas pode ter certeza que é melhor demandar agora do que lá na frente. E com essas coisas em ordem, trabalhar com o que a gente gosta é a melhor coisa do mundo!

Acompanhe nosso blog sempre com posts sobre empreendedorismo na moda e dicas e informações sobre o mundo da costura. Não deixe de acompanhar também nossa página no face e ver os workshops que oferecemos. Como essa série de eventos sobre o empreendedorismo em moda.

cursos-de-costura

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

0