fbpx

Tecidos online: um guia de tecidos para você saber identificar cada tipo nas lojas

 em Corte & Costura, Dicas, Workshops
Você também tem grandes dificuldades quando se fala em tecidos? Qual tecido usar? Qual tem o melhor caimento? Que tecido é esse? qual o nome desse tecido?
Muitas outras perguntas que vão surgindo. Não se preocupe! Você e metade do mundo tem as mesmas dúvidas. Por isso vamos te dar um guia com 6 posts sobre tecidos para você aprender e não ficar perdida na hora da compra.
 
Até quem trabalha com tecidos tem dificuldades como as nossas. Cada fábrica de tecido possui um nome fantasia diferente para tecidos que são semelhantes. Mudam 1% da composição e já muda o nome do tecido. E tudo isso sempre muito rápido.
E como acompanhar tudo isso? Muito difícil. Por isso é necessário conhecer as bases dos tecidos, suas origens. Conhecendo as características do tecido você poderá prever como ele irá se comportar. Sabendo isso já temos ideia se ele é o mais indicado para nossas peças ou não! Por isso nesse guia iremos falar sobre:
 
· As partes dos tecidos
 
Nesse post inicial vamos falar de alguns elementos básicos dos tecidos como:
 
  • Diferença entre malha e tecidos plano
  • Urdume
  • Trama
  • Viés
  • Ourela
  • Fio
  • Depois de comprar o tecido

DIFERENÇA ENTRE MALHA E TECIDOS PLANO

Para começar vamos dividir os tecidos em dois grandes grupos: TECIDOS PLANOS E MALHAS. Grade parte das diferenças deles vem da sua construção (o que iremos ver mais para frente). Essa diferença dá características diferentes para cada um.

MALHA

A malha possui uma elasticidade natural por conta de sua construção. Ela é feita basicamente por entrelaçamentos de um único fio ou fios longitudinais. Algo semelhante ao tricô e o crochê, porém em escala industrial.
 
As malhas podem variar em retilínea, circular ou de urdume pelo tipo de construção. Cada tipo desse apresenta um comportamento diferente na hora do manuseio. As malhas retilíneas e as circulares (ou tubulares) são feitas com um único fio que se entrelaça entre si. O que as diferencia é a forma, uma é igual ao tecido, como uma folha, já a outra tem o formato circular. Um exemplo de malha circular do nosso dia a dia são as meias. Ambos tipos de malha tem a elasticidade na largura. Nesses casos o modelo deve ser cortado seguindo o comprimento do tecido. Já a malha de urdume a elasticidade fica no urdume, devendo as peças serem cortadas no sentido da largura do tecido.
 
Por conta da sua elasticidade as malhas são normalmente vendidas por quilo. Isso evita que no momento de cortar o tecido tenha esticado ou não. Então o quilo é a forma mais exata de realizar a compra. Antes de manusear e cortar o tecido de malha é sempre indicado que ela tenha descansado. Dobre o tecido algumas vezes e deixe-o de repouso sobre uma mesa por algumas horas ou dias (depende do fabricante). Assim que compramos as malhas elas podem possuir deformações no tecido. Deixar descansar reduz e até elimina essas deformações. Cortar a malha sem descansar pode levar essas deformações do tecido para sua peça pronta no final.
 

TECIDO

Já o tecido plano é formado por dois fios, a trama e o urdume, que se encontram formando uma cruz (ângulo reto). Nele ainda encontramos o viés, a ourela e o fio. Quando você pegar um tecido, poderá pela ourela identificar o urdume a trama e o fio. Os tecidos planos possuem a característica de não esticar. Por isso ele é considerado mais clássico e usado para roupas mais estruturadas e elegantes. As peças confeccionadas no tecido plano não aceitam erro de costura, corte ou modelagem. Exigem mais conhecimento e habilidade do fabricante do que a malha.
 
 

URDUME

O urdume é o nome dado aos fios do comprimento do tecido. Todos os fios nesse sentido recebem esse nome. Esses fios são esticados nas máquinas na hora de fazer o tecido e depois as trama vem trançando entre eles.
 
Como ele foi esticado na hora de fazer o tecido, normalmente ele não possui nenhuma elasticidade. Porém é ele que indica a direção para o melhor caimento do tecido.
 

TRAMA

A trama é o nome dos fios que ficam na largura do tecido. São fios que vão trançando entre os fios de urdume. Por conta desse trançado ela possui um pouco mais de movimento, uma leve (mas muito leve) elasticidade. Normalmente, a trama é usada acompanhando as larguras do corpo. Essa pequena elasticidade acompanha os movimentos naturais do corpo (sentar, levantar, respirar).
 

VIÉS

Viés é a forma de usar o tecido. Ele é a direção de 45° entre a trama e o urdume. Por ser uma diagonal apresenta uma elasticidade maior que os outros. Isso confere mais movimento e caimento ao tecido. Ele deve sempre respeitar a angulação de 45°. Outras variações não possuem as mesmas características do viés, podendo ainda dar erros na peça final. Peças cortadas no viés ficam muito mais bonitas e confortáveis, porém o consumo de tecido acaba sendo maior também.
 

OURELA

A ourela é um detalhe que fica na borda dos tecidos seguindo seu comprimento. Ela consiste em uma concentração maior de fios de urdume usados na construção do tecido. Na máquina essa concentração de fios servem para manter a largura e estrutura do tecido no tear. A ourela também pode ajudar a reconhecer o FIO do tecido no momento de cortar uma peça. Em alguns tecidos ela pode ajudar a identificar o direito e avesso dos mesmos.
 

FIO

O FIO quer dizer o sentido do tecido que será usado na confecção de uma peça. Ele segue o comprimento do tecido. No momento do corte ele deve ser respeitado e alinhado com o FIO do molde. Esse fio acompanha o sentido da altura do corpo humano pois não temos muitas alterações nesse sentido. E assim colocamos a trama na largura do corpo que é aonde tem mais variações de movimentos e medidas.
 
Uma roupa cortada no FIO tem um caimento menos volumoso e mais reto e correto. O corte ao contrário é feito quando os tecidos tem barrados, mas evitar usar isso em peças justas. Já o viés pode ser feito em qualquer tecido. Outras pequenas variações da posição do FIO podem causar graves erros nas peças, como a perna ou manga que torce.
 

Quer ganhar dinheiro com costura? Veja esse nosso post e agregue valor ao seu trabalho.

DEPOIS DE COMPRAR O TECIDO

Quando compramos tecido nas lojas os vendedores cortam do jeito mais fácil e rápido para eles. Essa forma de cortar nem sempre é o melhor meio de se fazer. Alguns tecidos podem sofrer deformações por conta disso. essas deformações podem ser corrigidas ou não, dependo do caso. Por isso é importante analisar o tecido antes de cortar nossas peças.
 
O ato de rasgar o tecido para cortar tem suas vantagens e desvantagens. A vantagem é que o corte seguirá sempre a trama e é muito mais rápido. A desvantagem é que não funciona para todo tipo de tecido e que isso pode deformar o tecido. Por isso é sempre bom analisar e alinhar o tecido antes de começar o corte. Caso o tecido esteja repuxado por ter sido rasgado, basta você puxá-lo na diagonal contrária para chegar os dois lados iguais.
 
Outra dica é molhar os tecidos planos depois de comprar e antes de cortar. Principalmente os de fibras naturais. Basta colocá-lo de molho na água e deixar secar. Os tecidos de fibras naturais tendem a encolher. As fibras sintéticas não tendem a encolher. Mas essa pré-lavagem vai tirar as sujeiras que o tecido ficou exposto na loja, assim você pode manusear mais tranquilamente.
 

Seu sonho é ter seu ateliê? Confira aqui como planejar e montar um!

Esse primeiro post é apenas para começarmos a entender, como funcionam e para que servem as partes dos tecidos. Não deixe de acompanhar os próximos posts para aprender mais sobre tecidos e aplica-los da melhor forma possível em suas costuras.
 
Não perca também nossos eventos e workshops sobre moda, tecidos e costura na nossa página do face.
Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

0